AIKIDO NÃO É YOKO

Numa das conversas com minha esposa, também praticante de Aikido, falávamos da nossa dificuldade no yoko ukemi, visto que muitos iniciantes faziam, e nós não, mesmo quando eu já estava no 1º Kyu – Faixa marrom e ela no 3° Kyu – faixa verde. Isso me dava uma sensação de limitação e angústia, vendo uma turma nova fazê-lo facilmente.

Quando conversei com meu sensei por ocasião do meu início como seu aluno, tranquilizou-me este dizendo não me preocupar por não ser isto o mais importante.

Soube que o outro sensei que tive também pensa desse modo. Ressalte-se, que ambos os senseis que trato caem de yoko muito bem. Segundo ouvi, o segundo  vê no yoko mais o aspecto estético do que prático.  Lembro-me, no entanto, que nos seus treinos o ensino desta queda dava-se de forma lateral, aliás, do mesmo modo demonstrado no vídeo oficial do Hombu Dojo, realizado pelo Doshu Moriteru Ueshiba;

E não sobre a cabeça, como vemos nas apresentações.

Discretamente o meu sensei, ensinou-me a cair de yoko da segunda forma mencionada, fazendo com que eu eliminasse o medo que me travava.

Agora despertado pelo tema em razão da conversa prefalada, resolvi expressar a conclusão a que chegamos.

Então, é importante cair de yoko?

Bom, nosso país, região e nesse ano, nosso Estado, tem sido, felizmente, muito agraciado com seminários. No entanto, não tenho notícia de ter qualquer Sensei convidado ocupado-se em ensinar a  cair de yoko. Ensinam ao invés os princípios básicos, Ikkyo, Nikyo, Sankyo, etc, porque, apesar de os referidos princípios não serem (isoladamente) o Aikido, neles estam contidos os seus fundamentos.

Vejo pessoas, que assim como eu, que passaram dos trinta, tinham ou tem dificuldade ou restrição nesse tipo de projeção,inclusive graduados, o que aliás não é demérito algum, porque fazem bem os princípios e isso é o importante.

Não posso dizer que não foi bom aprender fazê-lo, mas somente por uma questão de transpor mais uma limitação, dentre as várias que temos na vida; e não porque isso faz melhor ou pior no Aikido. É como aprender a nadar ou andar de bicicleta depois de adulto.

yoko faz parte do grupo ukemi, este sim importante, mas o primeiro é uma opção, diga-se de passagem, muito legal fazer, mas não fundamental. É bom buscar fazer pelos fatores tratatados no parágrafo anterior, mas nunca autocobrar-se por isso.

Assim, no meu modesto entender, concluo que Aikido não é yoko e que portanto, julgar a qualidade do praticante pelas quedas que executa, não é a melhor medida, salvo, se tem apenas por objetivo ser oficializado uke.

Ribamar Lopes

Anúncios

3 responses to this post.

  1. Posted by Charles Carvalho Magalhães on 12 de dezembro de 2012 at 11:16

    Boa tarde Ribamar, concordo com voce que yoko ukemi é apenas mais uma forma de fazer um queda, portanto toque o barco pra frente sem medo de ser feliz, afinal de contas que julga no Aikido ainda não aprendeu o que é Aikido.
    Grande abraço, Charles Carvalho de Uberlandia, MG.

    Responder

  2. […] em dezembro último o texto Aikido Não é Yoko, no qual expressei minha opinião acerca da supervalorização do Yoko Ukemi. Li no entanto no blog […]

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: