Posts Tagged ‘último’

A ÚLTIMA POSTAGEM

fim

Em 16/10/2010 o blog Mussubi teve a sua primeira postagem. De lá pra cá foram 144 publicações, 20.565 visualizações, 6.509 visitantes e 694 seguidores. No dia 7 de outubro de 2015 este blog atingiu o ápice de 293 visualizações e um dia.

Mas alimentar estatísticas nunca foi o propósito. Foi esse espaço virtual, desde o seu inicio, uma manifestação da verdade do meu coração… escrevi o que acreditei que era  importante compartilhar… conheci pessoas, amealhei seguidores, recebi a honra da atenção daqueles que deixaram seus comentários.

Nunca fui pretensioso. Compartilhei sempre deixando claro que expressava minha simples opinião… opinião de um praticante…um estudante…um iniciante, portanto sujeita a equívocos.

O blog me fez conhecer pessoas pelo Brasil que manifestaram apoio e incentivo… o que raramente tive no meu Estado.

A tinta que escrevi era a paixão por essa arte que tomou conta da mim… arte que me exigiu horas de dedicação… que se confundia com a minha vida,  que me aproximou de pessoas, mas também me afastou de outras. Levou-me horas de sono… não foram poucas… me trouxe alegrias e angústias.

Mas a vida é um processo contínuo. A impermanência é intrínseca a vida… e agora chegou o momento inserir o ponto final.

Tenho orgulho de ter criado esse blog e escrito nele com todo meu coração e minha verdade. Não ouvirei o termo mussubi sem identificar-se como algo meu… como um sobrenome… Ribamar Mussubi.

Agradei a alguns… muitos ficaram indiferentes… Através de busca na internet descobri transcrições dos meus textos sem referência à fonte ou autoria, como se deles fossem… pessoas que sequer curtiram a publicação original… pessoas inclusive graduadas que não tiveram a humildade de dar créditos a este autor. Pessoas conhecidas que elogiavam a cópia, ao pensar que o texto era do copiador, mas que nunca o fizeram nos originais… (rsrsrs)… coisas do ser humano…

Cumpri minha missão… compartilhei quem eu sou, assim como sugeriu Richard Moon em “Aikido em três lições simples”. Expus-me pelo que acreditei e hoje encerro minha colaboração.

Ofereço esse último texto à minha esposa,  minha grande parceira na arte e na vida; aos meus filhos que sempre me ensinam a sonhar.

Ao sensei Gabriel Lopes Anaya meu primeiro sensei… pra mim o melhor… sempre coerente na fala (pouca),  comportamento discreto e técnica limpa … aquele de quem  eu voltaria a ser aluno. O meu sensei!

Ao Sensei Tarciso Dantas, sempre parceiro durante toda a minha caminhada!

A Maroni Costa Leitão uma referência de praticante … que quando fui treinar, já estava como yudansha, aluno do sensei Gabriel… Maroni que até hoje treina… isolado, mas sempre discreto, sem inveja, sem pretensões, a não ser de treinar; para mim um grande aikidoca, por sua postura como ser humano. Uma raridade ética…

Ao sensei Matias de Oliveira, pelo suporte que sempre me deu na prática independente. Por sua coragem de falar a verdade, doa a quem doer… por ser verdadeiro, o que é raro, principalmente nas práticas que se julgam caminhos (ambientes propícios à hipocrisia).  Onde é comum sorrir na frente e falar por trás. Com ele não! Diz o que tem a dizer.

A memória de Kawai Sensei.

A família Ueshiba que traz consigo a essência intocável dessa arte tão extraviada, deturpada, incompreendida e mal disseminada pela maioria dos seus praticantes (arrogantes, desunidos e hipócritas). Para mim o Doshu, não só de direito, mas de fato é a melhor representação do Aikido… do belo Aikido de Morihei Ueshiba, cuja visualização das técnicas me faz lembrar quanto é admirável o Caminho da Harmonia da Energia.

Aos seguidores do Mussubi, um sincero e agradecido Adeus.

José Ribamar Lopes “Mussubi”